O suficiente

4 04 2008

mm.jpg

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com 

O Cruzeiro acabou de ganhar do San Lorenzo da Argentina por 3 a 1 no Ipatingão. Dois gols de Marcelo Moreno, um de Wágner. Silveira descontou para os argentinos centenários. Jogo morno, o Cruzeiro administrou o jogo como quis, usou bem os avanços dos laterais e a segurança de Fortunato e Espinoza. Além das perfeitas coberturas de Paraná, Ramires e do surpreendende Henrique, que acabou de estrear, mas parecia um jogador de 10 anos de Cruzeiro. Moreno obteve três chances de marcar, guardou duas, bom aproveitamento. Wágner apareceu pouco, mas no final com o seu gol e um drible arrasador em três adversários ganhou moral. Guilherme jogou mal, Marcinho entrou na vaga de Henrique e pouco apareceu. Estranho foi a primeira substituição, Adílson tirou o atacante Guilherme e colocou o zagueiro Thiago Heleno, aos 17 minutos do segundo tempo, quando o jogo ainda estava 1 a o. Estranho, mas correto, o time ficou mais compacto, Wágner, Ramires e os laterais tiveram mais liberdade, tanto é que o primeiro gol saiu de um escanteio que Wágner arrumou. Ele mesmo cobrou o tiro de canto que resultou na cabeçada precisa cabeça do boliviano artilheiro da Libertadores. Depois foi a vez de Ramires sair na cara do gol, chutar duas vezes sem sucesso, na rebatida Wágner jogou lá dentro, 3 a 0, tudo certo. Nem tanto, na ânsia de fazer um gol para comemorar o centenário, o San Lorenzo chegou à meta celeste na bonita jogada de Acevedo e a boa conclusão de Silveira, os dois entraram na segunda etapa. Fim de papo, 3 a 1 para a Raposa, que além de garantir a classificação para a segunda fase da Copa Santander, assegurou a primeira posição e joga, pelo menos nas oitavas, com a vantagem de jogar a segunda partida do mata-mata em casa. Não uma partida de encher os olhos do torcedor, mas transmitiu muita confiança, pois o time jogou o suficiente para vencer e o melhor, tranquilamente.  

Anúncios