Primeiro furo jornalístico

8 05 2008

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com

Há pouco mais de oito meses no ar, o “No ângulo” saiu na frente das outras mídias e com o faro jornalístico de seus integrantes, o blog divulgou um possível desentendimento entre o técnico do Cruzeiro, Adílson Batista e o jogador Leandro Domingues https://noangulo.wordpress.com/2008/03/23/estranho/. No dia 23 de março, o blog deduziu que os jogadores Domingues e Marcel estariam se despedindo do elenco celeste, pois os mesmo eram os únicos à disposição do técnico da raposa para o banco de reserva na partida entre Caracas e Cruzeiro no dia 18 de março e o treinador optou em não fazer modificações. A partir daí, os dois eram até relacionados para os jogos do mineiro e da Libertadores, mas não entravam de maneira nenhuma no decorrer das partidas. Só no jogo das semifinais do Mineiro e na final que Leandro Domingues reapareceu e bem. O baiano desempatou a partida difícil contra o Ituiutaba com um golaço, e só não fez gol contra o Atlético, porque Wágner desviou uma bola que já entraria para as redes. Depois, Domingues não participou dos jogos contra o Boca – não foi nem relacionado na partida de ontem – , apesar do bom rendimento. Infelizmente nenhum jornalista mineiro, que eu tenha lido, visto ou ouvido questionou a não convocação do armador celeste para a decisão contra os argentinos, apesar o nosso blog aborou o tema pela segunda vez. Hoje, em entrevista coletiva, o gerente de Futebol do clube, Eduardo Maluf anunciou o afastamento de Leandro Domigues por indisciplina, segundo o dirigente, o jogador desrepeitou o técnico e ainda não cumpriu com suas obrigações e ainda afirmou que não iria atuar contra o Vitória, no próximo domingo, pelo Brasileirão. Não tiro a razão de Leandro Domingues, ele é muito melhor que muitos jogadores que viam jogando, como Henrique, Espinoza, Jonathan e o próprio Guilherme. Estes tiveram várias opotunidades, já Domingues não. E lógico, Maluf está correto, jogador nenhum tem o direito de fazer o que bem entender em um clube grande, como o Cruzeiro. É um clichê, mas nessa história, os dois lados vão sair perdendo. Agora o jogador, que deve treinar em separado, aguardará propostas de outros times. E podem esperar, daqui alguns dias, Marcel será a “bola da vez”.     

Mais detalhes do afastamento de Leandro Domingues: http://www.superesportes.com.br/ed_esportes/003/template_esportes_003_91963.shtml

Anúncios




Valeu Raposa!

8 05 2008

Apesar do apoio incondicional da torcida, Cruzeiro é derrotado pelo Boca Juniors por 2 a 1 no Mineirão e está fora da Copa Libertadores. Apesar do resultado, a equipe jogou bem, lutou muito. Destaque para Ramires e Wágner, este além de belo futebol fez uma pintura de gol. Já o Boca mostrou porque é hexacampeão, os argentinos transpareceram a tranquilidade de sempre e o bom futebol característico do país, os gols sairam na primeira etapa e foram marcados pela dupla Palermo-Palácios 

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com

Foi bom enquanto durou… Time aguerrido, torcida apaixonada, boas surpresas, como Wágner, Fabrício, Charles e principalmente Ramires e Marcelo Moreno. Surgimento de um bom treinador, Adílson Batista, que apesar de um alguns erros fatais, montou uma equipe que joga bem, ofensiva e defensivamente, principalmente quando atua Marquinhos Paraná na direita e Jadílson na esquerda. A derrota de hoje para o Boca Juniors deixou uma certeza: o time celeste tem garra, luta, não se entrega. Esse detalhe cativa os torcedores, revigora um amor, que ficou estacionado lá na decisão do Brasileirão de 2003, último grande título da Raposa, último grande público. A derrota de hoje tem que servir de experiência, principalmente, porque para ser campeão tem que jogar bem fora de casa, tem ter mais coragem, confiar. Que o Cruzeiro continue com esta base, que Domingues e Marcel sejam reintegrados e que faça um bom campeonato Brasileiro para voltar à Libertadores no próximo ano. E que sirva de lição a deste ano, especialmente porque perder para o Boca não é vergonha nenhuma, uma vez que a equipe argentina é a melhor do continente. Mas o Cruzeiro não pode se esquecer, que é um dos poucos clubes no Brasil(ao lado de apenas Grêmio e São Paulo) que tem tradição neste tipo de disputa, e que este seja o início de um reencontro de uma tradição. Valeu Cruzeiro!