Algoz dos Cariocas

4 08 2008

 

Guilherme comemora o primeiro gol contra o Flamengo com o ex-engraxate Charles, que armou a jogada do gol da virada celeste, 2 a 1 no Maracanã 

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com

Até aqui, quatro jogos, quatro vitórias. Este é retrospecto do Cruzeiro, neste Brasileirão, contra as equipes cariocas. Vitórias de 1 a 0 contra Botafogo e Vasco, no Mineirão. E duas no Maracanã, contra o Fluminese, sábado passado, 3 a 1 e 2 a 1 neste domingo, contra o Flamengo. Pontos importantes, melhor ainda a vitória de hoje, quase um confonto direto. Se perdesse, o Flamengo ultrapassaria o Cruzeiro na tabela de classificação. Com este resultado, a Raposa abriu cinco pontos de vantagens sobre o rubro-negro e se manteve na segunda posição, a dois pontos do Grêmio. O time, comandado por Adílson Batista, foi muito bem durante a maior parte do jogo. Dominou o Flamengo durante todo o primeiro tempo, mas tinha uma grande barreira: o goleiro Bruno. O ex-altleticano fez duas belas defesas, a primeira em um chute de Charles de fora da área, e a outra, depois de uma finalização perigosa de Guilherme. O Cruzeiro ainda tinha mais dois problemas, Weldon estava em campo e mais uma vez mostrou que tem medo da bola. Nas poucas jogadas que participou, dominava na área e saía logo dela, se esquivando dos lances de perigo. O outro problema foi a saída de Wágner, que torceu o joelho e foi substituído por Magrão, aos 30 minutos de jogo. Além dessas diiculdades, de nada tinha adiantado o domínio do Cruzeiro na etapa inicial. Vandinho, recém-contratado do Flamengo, entrou no intervalo e abriu o marcador para o seu time, logo aos 12 minutos do segundo tempo. Gol de cabeça, após cobrança de escanteio do ótimo Juan. Mas uma vez falha do zagueiro Espinoza, que criou o lance de perigo para os cariocas. O equatoriano cabeceou a bola displicentemente e mandou para a linha de fundo, tendo a opção de mandá-la para lateral. Mas tude bem, o Cruzeiro soube aproveitar a saída de Wágner, pois o único benefício deste desfalque é bola parada. O meia não é bom cobrador de escanteio, mas sempre bate. Sem ele, Jadíson é responsável pelas cobraças, e assim como no jogo contra o Atlético, o lateral cobrou muito bem o tiro de canto, Espinoza desviou e Guilherme completou. Era o empate celeste, aos 21 minutos do segundo tempo. E não é que o gol da equipe adversária tinha sido benéfico para o time celeste. É que logo após o gol, Adílson promoveu outra substituição. Weldon cedeu lugar ao atacante Rômulo, autor do gol da virada. Depois de boa jogada, Charles deu belo passe para o atacante celeste, que chutou no contra-pé de Bruno, 2 a 1, aos 24 minutos, resultado final. Logo após gol, o Flamengo perdeu um jogador, Diego Tardelli, em um lance muito chocante, quebrou o braço. Como Caio Junior havia feito as três substituições, o rubro-negro teve que jogar com 10 jogadores até o final da partida. Bom para o Cruzeiro, que criou mais oportunidades e poderia ter ampliado o marcador. Rômulo, Magrão e Guilherme tiveram chances claras, mas desperdiçaram. Por pouco o Flamengo não empatou, Jônatas mandou uma bola na trave de Fábio. Além das contusões de Wágner e Tardelli, o jogo ainda teve outros destaques negativos, principalmente na primeira etapa. Charles deu uma cotovelada em Juan e levou outra de Erick Flores. Thiago Salles também cometeu falta acintosa em Charles. Todos os citados deveriam ter levado o cartão vermelho. O árbitro Carlos Simon optou pelo amarelo para Charles e Thiago. Erick foi apenas advertido verbalmente. Para a Raposa, a hora da arrancada é agora, o time enfrenta o Internacional, na próxima quinta, jogo no Mineirão. Se quiser disparar e liderar, o momento é este. É vencer o Inter e depois a Portuguesa, em São Paulo. Não pode titubiar, como fez contra o Goiás, São Paulo e Grêmio.  

Só no Mineirão? O Atlético ainda não perdeu como mandante, desta vez a isca foi o Sport. O time de Pernambuco até que teve chance, começou ganhando. Roger fez 1 a 0, aos 14 do primeiro tempo. Não demorou nem um minuto, Marques empatou. No segundo tempo, Gedeon – entrou nesta etapa, no lugar do fraco Márcio Araújo -, marcou de cabeça, após cobrança de escanteio. 2 a 1, aos 30 minutos, placar final. Mais uma vez o Galo teve falhas no setor defensivo, principalmente no lado direito, com o Leandro Almeida. Roger perdeu, pelo menos, duas boas oportunidades. E o time ainda é muito dependente dos “velhinhos” Marques e Petkovic, que são os únicos criadores de lances ofensivos da equipe. Jael também não pode ser o matador do Galo, aliás, pode sim, ser mais um matador de raiva na torcida alvinegra. O Atlético joga contra o Santos, quarta, na Vila Belmiro.

Cada dia mais próximo  Se tivesse ganhando do Figuerense, do Náutico e de adjacentes no Ipatingão, o resultado de hoje poderia ser considerado normal para o Ipatinga. Derrota de 2 a 1 para o Palmeiras(time candidato ao título), dois gols de Valdívia, Adeílson descontou para o Tigre. Como o time precisa de pontos para sair da laterna, a derrota foi mais um empurrão rumo à série B. Para sair dessa situação, o Tigre precisa de fazer, no mínimo, 22 pontos no segundo turno do Campeonato. O Tigre fez apenas 13, faltando duas partidas para o final do primeiro turno. Para completar, o seu próximo adversário é o líder Grêmio, no estádio Olímpico. Que situação!

Anúncios