Show de Fábio

8 08 2008

Goleiro celeste demostra que está na melhor fase da carreira. No jogo contra o Inter, até pênalti ele defendeu 

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com

O dia era especial, o principal representante do torcedor celeste, o narrador Alberto Rodrigues, comemorava mais um ano de vida. E não é que ele recebeu um belo presente: o Cruzeiro venceu o Inter, conquistou a quarta vitória consecutiva no campeonato, convenceu e tem tudo para virar o turno na liderança – basta vencer a Portuguesa, domingo, no Canindé e torcer por um tropeço do Grêmio contra o Atlético, sábado, em Belo Horizonte. No ápice da carreirra, o goleiro Fábio foi mais uma vez o destaque da partida. Com duas defesas espetaculares, a primeira no pênalti cobrado por Nilmar e depois em uma cabeçada do próprio atacante, Fábio demostrou que está na melhor forma e se consolida como o melhor jogador da equipe nesta temporada. Além do goleirão, Marquinhos Paraná continua com a regularidade de sempre, bem nos combates, também na saída da defesa e ainda cria boas jogadas de ataque. Em uma delas, Rômulo por pouco não marcou. O atacante vem se tornando peça importante para esquema de Adílson. Com ele, Guilherme evoluiu e foi autor da jogada do segundo gol. Ele cruzou e o zagueiro do Inter, Sorondo, desviou aos três minutos do segundo tempo. Guilherme tem mostrado disposição e Rômulo tem aberto espaços para o jovem atacante, a dupla está cada vez mais entrosada. O primeiro gol foi de Magrão, jogador de pouca técnica, mas de muita vontade e raça. Tanto que abriu o marcador, fez bons lançamentos e ainda puxava todos os contra-ataques. O ex-ipatiguense é um ótimo reserva de Wágner e pode ser uma arma importante para o técnico celeste. Jadílson foi outro que jogou bem, melhorou – não vinha atuando bem nas últimas partidas – e foi o grande armador do time nesse jogo, fez grande jogada e achou Magrão dentro da área, no primeiro gol do time. Foi uma ótima partida do Cruzeiro, melhor ainda é sequência de vitórias(quatro) e uma evolução digna de um time campeão. Se a escrita for mantida, o título pode chegar por antecipação. É que desde a criação desta fórmula de disputa do Brasileirão, todos os times que ganharam o primeiro turno foram campeões. Alegria do Alberto, que apesar de não ter narrado a partida – está de licença, pois é candidato a vereador -, com certeza assistiu e deve ter se lembrado da máquina celeste de 2003, um time imponente e com muita vontante de vencer.      

Anúncios