Pênalti! Guilherme cobra, erra e Coritiba empata

31 08 2008

Espinoza abre o placar para Raposa, que cede o empate no finalzinho do segundo tempo; Guilherme ainda desperdiçou um pênalti

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com

Quarenta e dois minutos do segundo tempo: Ramires entrou na área do Coritiba, ficaria cara-a-cara com o goleiro Vanderlei do Coritiba, mas foi derrubado por Alê. Pênalti e expulsão do volante do Coxa. O placar era de 1 a 0 a favor da Raposa, gol de Espinoza, aos quatro da etapa inicial. Guillherme foi para a cobrança e… Vanderlei defendeu! O atacante celeste bateu muito mal, a bola ainda sobrou para Fernadinho que isolou. Lance capital, pois dois minutos depois, Keirrinson fez boa jogada pela direita, entrou na área azul e cruzou para Thiago Silvy – havia entrado na etapa final – que só empurrou para o gol de Fábio. 1 a 1, resultado final e mais um vez o torcedor do Cruzeiro sai decepcionado do Mineirão. Não só pela perda do pênalti, mas pelo futebol horroroso demonstrado durante todo o jogo. Isso é resultado de um time que passou as últimas duas semanas só pensando em transferências, mais nada. De um time que tem um treinador que tem paciência com Weldon, que é displicente, irritante e lento. De um treinador que tem medo de arriscar, que tira um atacante e coloca um outro volante. Está aí, mais um rodada termina e cada vez mais o Cruzeiro se distancia do líder Grêmio – agora são oito pontos de vantagem -, do Palmeiras (3 pontos) e  fica com um vantagem mínima sobre as equipes que estão em seu retrovisor – o time está com apenas três pontos a mais que o oitavo colocado. Na próxima rodada, o Cruzeiro pega o Vasco, em São Januário. Tem que vencer, ao contrário, pode começar a dar adeus até para a vaga da Libertadores.  

Galo também não segura vantagem O Atlético também cedeu o empate para a Portuguesa. O Galo saiu na frente contra a Portuguesa, no Canindé, gol de César Prates cobrando falta, aos 16 minutos do primeiro tempo. Mas como alegria de time ruim dura pouco, Washington empatou para a Lusa. 1 a 1 aos 20 minutos da etapa complementar. Um péssimo jogo, confronto de duas agremiações que vão lutar contra o rebaixamento. O próximo desafio do Galo é contra o São Paulo, quarta, no Mineirão.

Anúncios




Empate no Barradão

31 08 2008

Xaves pára o maestro do Vitória, Ramon Meneses, e Ipatinga consegue seu terceiro ponto fora do Ipatingão

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com 

Faltou competência dos atacantes, se Adeílson e Kempes tivessem poder de decisão, o Ipatinga poderia ter trazido três pontos da capital baiana e o Trigrão de Aço ficaria empatado – perderia no saldo de gols – com o décimo sexto colocado, o Atlético- PR, que é o primeiro clube antes da zona de rebaixamento. Foram dois lances capitais, o primeiro, Adeílson se precipitou. Ele poderia ter avançado mais e chegaria de frente para o goleiro Viáfara, mas acabou chutando de fora da área e pior, o chute saiu fraco. Na outra oportunidade, Kempes, se tivesse mais motivação, poderia ter driblado o goleiro do Vitória, mas a lentidão é tanto, que arqueiro colombiano foi mais esperto e deu bote. No mais, o Vitória pressionou, mas a defesa da equipe mineira estava muito bem e o goleiro Fernando foi muito bem quando testado. Placar final: 0 a 0, com o resultado, o Tigre continua na laterna, agora com 21 pontos e enfreta Náutico no Aflitos, na próxima rodada. Se quiser continuar na séria A, a equipe do Vale do Aço tem que buscar vitórias também como visitante, ao contrário, a situação vai ficar cada dia mais complicada. O Tigre só conseguiu três pontos fora de seus domímios, empatou com o São Paulo, Goiás e agora com o Vitória. As cinco vitórias foram todas conquistadas no Ipatingão, contra o Goiás, a Portuguesa, o Vitória. o Fluminense e o Internacional. Sobrando 12 derrotas e um saldo negativo de 18 gols, com 40 gols sofridos e apenas 22 marcados.