Vontade é o que não vai faltar

2 03 2009
Titularidade iminente: a garra de Sorín e Kléber supera a técnica de Fernandinho e T. Ribeiro

Titularidade iminente: a garra de Sorín e Kléber supre os principais problemas do atual time base de Adílson Batista.

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com

O que ficou bem claro na goleada de 4 a 1 do Cruzeiro sobre o Ituiutaba, ontem, no Mineirão, foi que Sorín e Kléber serão titulares absolutos do time celeste. Em boas condições físicas, os dois suprem as maiores deficiências da Raposa: a falta de vontade, os erros de passes e de finalizações e o desarme no campo ofensivo.

Kléber, além dos três gols marcados, mostra garra em toda a partida, luta o tempo todo. Não desiste de um lance sequer, e ainda tem traquilidade para chutar a gol. Sorín, que volta depois de quase um ano de inatividade, mostra que terá muita utilidade ao time de Adílson Batista. Em pouco mais de um tempo em campo, ele é outro que acredita em todas as bolas, lidera a equipe e joga com gana para vencer. 

Apesar de já ser considerado um atleta em fim de carreira, o argentino tem muito a ajudar o time azul, principalmente na Libertadores. Qualquer leigo perceberia que o que faltou no fatídicio empate do Cruzeiro contra o Deportivo Quito foi vontade de vencer. Coragem de arriscar, qualidades que não faltaram a Ramires e que faltaram à Tiago Ribeiro e Fernandinho, jogadores que já estão com os dias contados no time titular. Kléber e Sorín, respectivamente, serão os substitutos.

Bernardo foi outro que se destacou na partida desse domingo. O jovem meio-campista, aos poucos, vem ganhando espaço no elenco celeste. Entrou muito bem no segundo tempo, tem um bom passe, é ótimo nas bolas paradas e finaliza muito bem. Se o treinador não inventar, a jovem promessa, futuramente, ocupará a vaga de Wagner, outro sonolento do Cruzeiro. Assim, quem sabe, a Raposa evite alguns vexames, como em Quito e em Potosí.  

Anúncios