Realidade nua e crua

28 04 2009

arquiba_-_g1

Bruno Martins – brunohmartins@radioliberdade.com.br

Pois é, pela terceira vez consecutiva, a final do o Campeonato Mineiro, foi decidida na partida de ida. Goleada em 2007 a favor Galo, goleada no ano passado a favor do Cruzeiro. E goleada este ano, novamente a favor da Raposa e com o mesmo placar: cinco a zero.

O primeiro tempo não mostrou esta disparidade. O técnico Emerson Leão escalou uma equipe com quatro volantes e praticamente anulou as jogadas de ataque celeste. Kleber estava muito bem marcado.

Wagner e Ramires não encontravam tinha espaços no meio-de-campo totalmente congestionado. Mas bastou um descuido da zaga alvinegra para o Cruzeiro abrir o marcador.

Depois de um escanteio a favor do Galo, Ramires puxou o contra-ataque com Tiago Ribeiro, Kleber e Wagner. Kleber dominou mal a bola, Wagner conseguiu recuperar e deu um calcanhar de volta para o Gladiador, que não titubeou e fez um a zero.

Mesmo com a vantagem, a partida ainda estava muito equilibrada e a etapa inicial terminou em um a zero para a Raposa. Há um clichê no futebol, que clássico se define nos detalhes. Ontem não foi diferente, bastou uma substituição para mudar todo o equilibrio da partida.

Emerson Leão trocou Márcio Araújo por Kléber. Um volante por um atacante paradão. Resultado: o que todo mundo sabia, menos o treinador “iniciante” e “ingênuo” chamado Leão. Kléber mais Lopes igual a dois a menos. Dois jogadores estáticos lá frente e menos dois no meio-de-campo.

O técnico Adílson Batista ainda substituiu Tiago Ribeiro por Soares. O atacante foi jogar nas na avenida Junior. Só Rafael Miranda ficou na marcação de Kléber. Ninguém marcou mais ninguém. A partir daí, Wagner, Ramires e Soares ganharam todos os espaços do mundo. E foi só pressão da Raposa.

Antes do segundo gol foram cobrados cinco escanteios consecutivos. No último, Leonardo Silva não perdoou. Cinco minutos depois, outro escanteio. Outra cobraça de Wagner e outra cabeçeada certeira de Leonardo Silva.

Três a zero, e um Galo morto. Que não chegou nenhuma vez ao gol de Fábio no segundo tempo. Um time, que de tão mal, começou a exagerar nas faltas. Renan deu duas pacandas em Ramires e foi para o chuveiro mais cedo. E ainda fez aquela cara: “o que fiz?”.

Com um a mais, o Cruzeiro teve ainda mais facilidades para chegar ao gol Alvinegro. Jonathan tabelou com Marquinhos Paraná. Depois Jontathan tabelou com Soares, que deixou o lateral na cara do Gol. Bastou Jonathan tocar a bola no contra-pé de Juninho, quatro a zero.

No final, Ramires e Leandro Almeida se estranharam. Perna pra lá, perna pra cá e os dois também sairam mais cedo da decisão. Só estranhei o Leandro Almeida ter levado o cartão amarelo, antes do vermelho. Era pra ser vermelho direto!

Com mais espaço, Jonathan marcou mais um. Lembrando que ele teve todo o espaço, assim como em seu primeiro gol. Por que? Porque estava na Avenida Junior. Outra lógica que Leão não viu. Magrão lançou, Jonathan dominou e mandou para gol. Placar final: cinco a zero. 

Anúncios




Classificação em noite de pouco futebol

24 04 2009

00000038381

Bruno Martins – brunomartins@radioliberdade.com.br

O Atlético vai pegar o Vitória nas oitavas-de-final da Copa do Brasil. O jogo de ida será na    próxima quarta-feira no Barradão. Ontem, a equipe alvinegra fez um treino de luxo contra o Guaratinguetá.

O clube do interior, que complicou a vida do Galo no jogo de ida – terminou empatado em dois a dois -, nem parecia o mesmo time. Após sofrer o primeiro gol, marcado de pênalti pelo artilheiro Diego Tardelli, logo aos três minutos do primeiro tempo, o Guará até que esboçou uma reação e teve duas boas oportunidades, mas foi só.

Depois só deu Atlético. Márcio Araújo perdeu uma chance incrível. Éder Luís desperdiçou, pelo menos, quatro oportunidades claras de gols. Aliás, o atacante alvinegro parece que esqueceu que futebol é coletivo.

Em duas jogadas, bastava rolar para área, que Diego Tardelli e Carlos Alberto empurrariam para as redes.  Leão ainda tentou resolver o problema, colocando o atacante Alessandro no jogo. Vontade não faltou ao atleta, mas a falta de ritmo era nítida, e Alessandro pouco ajudou.

De tanto que a equipe errou, o experiente lateral Junior também resolveu entrar na onda, e errou o cruzamento para área. Erro que resultou no segundo gol do Galo, aos quarenta e três minutos do segundo tempo.

Placar final, dois a zero para o Atlético, que agora se concentra na final do Campeonato Mineiro, domingo, contra a Raposa. A boa notícia para os atleticanos é que Éder Luís não vai jogar porque está suspenso. O volante Rafael Mirando deve ser o seu substituto.





Apanhou, ganhou e classificou

23 04 2009
Apesar de apanhar durante toda a partida, Kléber se comportou bem, e não revidou as pancadas sofridas.

Apesar de apanhar durante toda a partida, Kléber se comportou bem, e não revidou as pancadas sofridas.

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com

O time celeste carimbou a vaga para as oitavas-de-final da Copa Libertadores da América, ontem, no Mineirão. Mais de trinta e quatro mil torcedores viram a equipe mineira superar o violento Deportivo Quito, por dois a zero. Gols de Leo Fortunato e Wagner.

Mas poderia ter sido de mais. Além do gol de Wagner, que foi no travessão e voltou nas costas do goleiro adversário, o Cruzeiro mandou mais cinco bolas na trave. Jonathan, Tiago Ribeiro e Bernardo acertaram uma vez cada. Kléber mandou duas bolas na trave.

Além do bom futebol estrelado, o jogo foi marcado pelo excesso de cartões. Foram seis amarelos e três vermelhos. E olha que o árbitro Carlos Amarilla ainda deixou de expulsar o capitão do time equatoriano, Edwin Tenório, que deu um soco em Kleber na entrada da área.

O juiz errou também na expulsão do volante Fabrício, que tomou uma joelhada de Donoso e não revidou. Apenas o equatoriano deveria ter ido para o chuveiro mais cedo. Mas, em uma atitude política, o árbitro paraguaio resolveu dar o cartão vermelho para os dois.

Com o resultado, a Raposa garantiu o primeiro lugar do Grupo cinco, com 13 pontos. O Estudiantes La Plata, que apenas empatou com Sucre, ficou na vice-liderança com dez pontos. O Cruzeiro agora aguarda o adversário das oitavas-de-final.

Pelas projeções, é bem provável que o confronto seja contra o River Plate. Colo-Colo e Palmeiras também têm chances de confrontar com a equipe celeste.





Nada mais que o óbvio

20 04 2009
Éder Luís, suspenso com o terceiro amarelo, será o único desfalque do clássico, que decide o Mineiro 2009.

Éder Luís, suspenso com o terceiro amarelo, será o único desfalque do clássico, que decide o Mineiro 2009.

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com

Cruzeiro e Atlético na final? Que novidade! Ninguém esperava…Ainda mais se tratando de um campeonato tão nivelado.

Em quinze jogos, a Raposa venceu apenas onze partidas, empatou quatro e perdeu zero. Nossa, quanta derrota! Já o Galo venceu doze, empatou duas e perdeu uma, justo para o Cruzeiro. Muito complicado esta competição, não é mesmo?

Resumindo, nenhum time do interior ou o América conseguiu ganhar dos dois grandes rivias do estado. Simplesmente sem graça. Pior foram os jogos das quartas e das semifinais. O Atlético venceu os quatro, marcou dez gols e sofreu nenhum.

O Cruzeiro também venceu todas as partidas, marcando quatorze gols e sofrendo quatro. Sendo que nas semifinais todos os jogos foram no Mineirão. Pra que, eu não sei! Precisa de dois jogos no Gigante da Pampulha… Por que não decidiram a vaga na final em apenas uma partida?

Era preciso o Cruzeiro, por exemplo, golear no jogo de ida e escalar um time misto na volta. Não valia mais nada! Mesma coisa o Atlético, em que três jogadores forçaram o terceiro cartão amarelo na partida de ida para não disputar a final pendurado.

Precisa tanto papo de arbitragem, tanta polêmica, violência, contusão, para acontecer o previsível? Não dar pra entender. Tanta evolução pra nada. Será que ninguém percebeu o quanto é sem importância esses estaduais. Ou será que eu sou chato?

E não é só em Minas. Vide campeonato gaúcho. Jogo decisivo, resultado: oito a um para Inter diante do Caxias. Fora em São Paulo, que dizem ser mais disputado. Mais disputado, porque há mias duas equipes que lutam pelo título, só duas. Mesma coisa no Rio. Passou da hora de dizimar os estaduais.

Voltando ao Mineiro, a primeira partida do clássico decisivo é neste domingo, às quatro da tarde. O jogo de volta é no outro domingo. O Galo joga com a vantagem do empate sem gols ou em um a um. O time alvinegro já tem um desfalque confirmado. Éder Luís levou o terceiro amarelo e está fora do primeiro jogo da final.  





Que trapalhão!

16 04 2009
O capixaba Wallace Nascimento Valente, o do meio, foi o ator principal da partida entre Guará e Galo pela Copa do Brasil.

O árbitro capixaba Wallace Nascimento Valente (meio) protagonizou umas das piores arbitragens da história da Copa do Brasil.

Bruno Martins – brunomartins@radioliberdade.com.br

O Atlético já se concentra para o jogo de volta da semifinal do Campeonato Mineiro. Sábado o Galo recebe o Rio Branco no Mineirão, às quatro da tarde. A equipe alvinegra pode perder por até dois gols de diferença que passa à final do Estadual.

Mais de 12 mil ingressos foram vendidos antecipadamente para esta partida. Ontem, a equipe atleticana deu um tempo no Mineiro e foi até o Vale do Paraíba, em São Paulo, encarar o Guaratinguetá, pela Copa do Brasil.

 O time de Emerson Leão acabou empatando com a equipe do interior paulista em dois a dois. A equipe da casa abriu o marcador logo aos três minutos da etapa inicial, com o atacante Guaru. Diego Tardelli, sempre ele, empatou em cobrança de pênalti aos quarenta e cinco do primeiro tempo.

Foi o próprio artilheiro que cavou um pênalti. No lance, Tardelli tentou o drible no goleiro adversário e acabou pulando, o juiz interpretou como falta dentro da área e marcou o pênalti. Revoltado com a marcação duvidosa, o presidente do Guará invadiu o gramado no intervalo para tentar agredir o árbitro Wallace Nascimento Valente.

O dirigente foi contido pelos seguranças do clube. No segundo tempo, Diego Tardelli fez mais um e virou a partida para o Galo aos dezessete minutos. O gol saiu depois de uma ótima triangulação entre Eder Luis, Junior e Tardelli.

Aos vinte e sete minutos, o goleiro Juninho foi advertido com o cartão amarelo. Em seguida, o árbitro amarelou o goleiro atleticano na mesma jogada e o expulsou. Lance muito esquisito, típico de compensação.

Se não bastasse a expulsão, o juiz Wallace Valente errou mais uma vez. Aos 31 minutos, a bola bateu involuntariamente na mão do volante Márcio Araújo, que estava dentro da área alvinegra.

Wallace não pensou duas vezes e marcou pênalti para o Guará. Nenê bateu e deu números finais ao placar: dois a dois. Com o resultado, o Atlético não evitou a partida de volta, que será no próximo dia 23, no Mineirão. A equipe Alvinegra jogará com a vantagem do empate sem gols ou em um a um.

Agora voltando à abirtragem do Wallace Valente. O cara tem que ser, no mínimo, afastado por tempo. Não pode um juiz ser tão inconseqüente assim. Apitou com medo e foi o grande responsável por dois gols na partida.   





Jogo duro, resultado fácil

15 04 2009
Cruzeiro pena para vencer o Ituiutaba. Goleada foi enganosa, Raposa jogou mal até os 34 minutos da etapa final. kleber se destoa mais uma vez.

Kléber se destoa dos companheiros e se irrita com os erros do companheiro Wellington Paulista.

Bruno Martins brunomartins@radioliberdade.com.br

O Cruzeiro se prepara para a partida de volta da semifinal do Campeonato Mineiro, domingo, às quatro da tarde. A Raposa pode perder por até três gols de diferença que se classifica para a final.

A vantagem foi construída no jogo de ida, ontem, no Mineirão. O time celeste venceu por quatro a um. Diga-se, um resultado que não faz jus à realidade da partida. O jogo foi muito equilibrado e o Ituiutaba conseguiu segurar o empate em um a um até os 34 minutos do segundo tempo.

Só após as entradas de Wagner e Wanderley que o Cruzeiro conseguiu esboçar uma superioridade. Wanderley fez o que o atacante Wellington Paulista não tinha feito o jogo todo: jogou com raça e velocidade.

Tanto, que participou do gol da virada, marcado por Kleber e marcou terceiro. O Gladiador finalizou o placar, após belo lançamento de Wagner. Pouco mais de 12 mil torcedores compareceram ao Mineirão.

Fora das quatro linhas, o Cruzeiro pode anunciar, hoje, a contratação do lateral-esquerdo Athirson. O jogador tem contrato com a Portuguesa de São de Paulo. Aos 32 anos, Athirson já vestiu a camisa azul em 2005 e foi vice-campeão Mineiro. Em troca, a Raposa deve liberar o atacante Wanderley ao clube paulistano. 

Mais um ex-jogador em atividade. Será que não basta Sorín para o departamento médico. Agora mais um pra posição. O duelo para a posição promete ser disputado!

E o presidente Zezé Perrella voltou de Dubai nos Emirados Árabes. O dirigente disse que conversou com empresários sobre abertura de uma escolinha de futebol da Raposa no país. Perrella também informou que o clube foi convidado por um xeique a fazer a pré-temporada de 2010 em Dubai, junto com grandes clubes da Europa.

Sobre o patrocínio com uma companhia aérea dos Emirados Árabes, o presidente celeste afirmou que houve apenas uma sondagem, nada de concreto. É muita imaginação, dezoito milhões no Cruzeiro… E tem gente que ainda rende assunto. 





Show do Galo, decepção da Raposa no campo e na quadra

9 04 2009

 Bruno Martins- brunomartins@radioliberdade.com.br

08tardelli1

Depois do show de bola dessa quarta-feira, o Galo já se prepara para a primeira partida da semifinal do Campeonato Mineiro. O time alvinegro joga neste domingo, às quatro da tarde contra o Rio Branco, no Mineirão. Como os estádios Parque do Azulão, em Andradas e Ronaldão, em Poços de Caldas, têm capacidades inferiores a dez mil torcedores, o Rio Branco optou em jogar no Mineirão, mesmo tendo o mando de campo da primeira partida.A massa atleticana deve lotar, mais uma vez, o Gigante da Pampulha. Mais de quarenta e oito mil ingressos foram colocados à venda.

Ontem, a torcida mostrou que joga mesmo com o time, tanto, que o adversário ficou perdido em campo. Se o Uberaba já era um time fraco, o Galo ficou ainda mais forte com o apoio da massa. Foi um diferencial, sem dúvida. E o time alvinegro retribuiu em alto nível, seis a zero. Lopes desencantou em grande estilo, marcando dois gols. O artilheiro Tardelli mostrou que é o grande nome desse time de Leão. Marcou três gols e disparou na artilharia no Campeonato, agora com 14 gols. Éder Luís também voltou a marcar, ao abrir o placar. Com o resultado, o Galo chegou a uma marca que não alcançava há 20 anos. O time alvinegro chegou à nona vitória consecutiva na temporada.

08cruzeiro

O Cruzeiro terá um bom tempo de preparação para a primeira partida da semifinal do Campeonato Mineiro, que será disputada só na próxima terça-feira. A equipe celeste vai conhecer o adversário nesta noite. Democrata e Ituiutaba lutam pela última vaga da semifinal, hoje, às seis da tarde, no Mineirão. A equipe do Triângulo pode perder por até um gol de diferença que passa à próxima a fase. Além de assistir esta partida, os jogadores e a comissão técnica celeste deve rever os melhores lances do jogo de ontem, na derrota decepcionante, contra o Estudiantes, em La Plata na Argentina. A derrota seria um resultado até normal, mas de goleada foi exagerada. A atitude dos atletas celestes, sem dúvida, envergonhou a torcida celeste. O Cruzeiro voltou a jogar mal fora de casa, repetindo as atuações da temporada passada. Apesar dos desfalques de Kleber, Wagner e Sorín, a Raposa, se quiser sonhar o tri da Libertadores, não pode nem pensar em repetir a pífia apresentação dos quatro a zero de ontem para o Estudiantes. Mesmo com derrota, o Cruzeiro continua na liderança do Grupo cinco com dez pontos, agora seguido de perto da equipe Argentina, que chegou aos nove. O Deportivo Quito, que joga semana que vem, está em terceiro com cinco pontos. O Universitário Sucre é o lanterna do Grupo, com apenas um pontinho.

sada20x20minas20arena20082004

Minas e Cruzeiro fazem o terceiro duelo da Superliga Masculina de vôlei, na próxima segunda-feira, na Arena JK. Ontem as equipes disputaram o segundo o jogo da melhor-de-três, também na Arena do MInas. A noite parecia estrelada. A equipe do Cruzeiro abriu dois sets de vantagem. O time celeste venceu o primeiro set apertado por 27 a 25 e o segundo com mais tranqüilidade, por 25 a 19. Bastava mais um set para a equipe do técnico Talmo de Oliveira carimbar a vaga para final. Mas o Minas reagiu no terceiro set. Comandado por André Nascimento, a equipe da rua da Bahia superou a Raposa por 25 a 23. O quarto set foi o mais emocionante. O Cruzeiro teve quatro match points. Mas quem fechou o placar foi o Minas, que venceu por 33 a 31. No quinto e decisivo set, mais uma vez, a Raposa teve a chance. Mas desperdiçou dois match points, e quem saiu vitorioso foi o Minas: 20 a 18. Placar final 3 sets a 2 para o Minas, que segue vivo na competição. Hoje, às sete da noite, Florianópolis e São Bernardo disputam a outra semifinal, no ABC Paulista. Se vencer, o time catarinense fecha a série e confirma a presença na final da Supeliga.