O melhor elenco do Brasileirão

28 09 2009
Celso Roth tem o melhor plantel deste Brasileirão

Celso Roth tem o melhor plantel deste Brasileirão

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com

Goleiros: Carini, Aranha, Bruno, Renan Ribeiro.

Laterais direitos: Coelho, Sheslon, Marcos Rocha e Felipe.

Laterais esquerdos: Thiago Feltri, Wellington Saci e Junior.

Zagueiros: Welton Felipe, Werley, Benítez, Jorge Luiz, Alex Bruno e Thiago Cardoso.

Volantes: Jonílson, Carlos Alberto, Renan, Côrrea, Márcio Araújo e Serginho.

Meias: Ricardinho, Evandro, Tchô e Renan Oliveira.

Atacantes: Éder Luís, Diego Tardelli, Alessandro, Rentería, Pedro Oldoni e Marques.

Time base: Carini, Carlos Alberto, Werley, Jorge Luiz e Thiago Feltri; Jonílson, Márcio Araújo, Côrrea e Ricardinho; Éder Luís e Diego Tardelli.

É difícil colocar uma outra equipe com tantas opções igual tem o Atlético. Em todas as posições há, pelo menos, dois jogadores em boas condições de titularidade. Não vejo nenhum outro time neste Brasileiro melhor que o Galo.

O Palmeiras, por exemplo, não tem substitutos para os meias Diego Souza e Cleiton Xavier. O São Paulo é dependente dos zagueiros Miranda e André Dias. Assim como o Corinthians que não tem substitutos para Chicão e Willian.

A Raposa não tem um artilheiro, um finalizador decisivo. Tem bons atacantes, mas nenhum que não titubeia. O time estrelado também não tem nenhum armador de origem. O lateral-esquerdo Gilberto vem fazendo bem esta função e quando ele não jogar?

O Inter caiu de produção nas últimas rodadas porque perdeu o jovem Giuliano, que está na seleção sub-20. O Colorado não tem lateral-direito, improvisa os zagueiros. Hoje o dono da posição é defensor Danilo Silva.   

O Grêmio só joga se Tcheco ou Souza se destacarem. O Goiás não vive sem os laterais Vítor e Júlio César.  

Na vitória de ontem sobre o Santos, o Atlético mostrou uma superioridade absurda. A equipe de Vanderlei Luxemburgo foi encurralada durante todo o jogo. O time santista é um time infinitamente inferior ao Galo.

Os laterais não funcionam, os zagueiros são péssimos, o goleiro é inexperiente, esse Mádson é a pura enganação. Fora o companheiro de ataque de Kléber Pereira. Esse tal de Felipe Azevedo não fez absolutamente nada na partida.

Neymar é promessa, Jean, que seria titular – estava machucado -,  não se firmou em time nenhum. Por isso, o time de Celso Roth teve tanta facilidade. 

A dupla de ataque é melhor, a de zagueiros também. O meio-campo tem jogadores criativos. Márcio Araújo é o melhor volante do Brasil, Côrrea tem um passe muito bom, Evandro é sonolento, mas muito técnico.

Nas laterais, Carlos Alberto e Thiago Feltri marcam e apoiam bem.Impressionante! E olha que Rentería, Benítez e Ricardinho estavam no banco de reservas.  

Não vejo outro favorito, neste Brasileirão, que não seja o Atlético. O bicampeonato está na mão, basta o treinador ter mais coragem nos jogos como visitante. Cinco pontos separamo o Galo da liderança.

O time ainda se confronta com Palmeiras, Inter, São Paulo e Goiás. Só o Colorado é no Mineirão. Os outros três são fora de casa. Por isso é necessário mais coragem ao técnico Celso Roth.





Roman neles!

24 09 2009

ROM_3_~1

Bruno Martins – brunomartins@radioliberdade.com.br

Evandro Rogério Roman. O nome do jogo de ontem entre Cruzeiro e Palmeiras. Eu não estou falando de uma atacante ou de meia, muito menos de um goleiro. O destaque da partida foi o juiz.

Evandro Rogério Roman foi decisivo na vitória do Palmeiras por 2 a 1. Ele deixou de marcar três pênaltis, dois claríssimos. O primeiro foi aos cinco minutos da etapa inicial, em que o lateral Wendel derrubou Kléber na área. Dois minutos depois o Cruzeiro abriu o marcador.

O zagueiro Gil lançou, Henrique desviou de cabeça e a bola sobrou para Thiago Ribeiro, que, livre, mandou para o gol de Marcos: 1 a 0. Um minuto depois, Henrique roubou a bola de Vágner Love, o árbitro viu falta. Diego Souza bateu com efeito e empatou o jogo: 1 a 1.

Aos 17 minutos, o lance mais absurdo do jogo. Gilberto fez boa jogada pela esquerda cruzou para Fabrício, que, na área, sofreu uma entrada violenta de Jumar. Foi pênalti, o juiz ignorou.

Pior para Fabrício que teve que deixar o jogo no início do segundo tempo com dores no tornozelo. No segundo tempo, o Palmeiras foi logo virando o jogo, aos quatro minutos.

O bom lateral Diego Renan perdeu a bola no ataque, a dupla de zaga ficou olhando Vágner Love que, livre, passou por Fábio e fez 2 a 1 para o Verdão.

Aos oito minutos, o lateral Armero acabou sendo expulso. A partir daí, o Cruzeiro foi pra cima, mas sem levar perigo ao gol de Marcos. Aos 48 minutos, Diego Renan entrou na área e foi emburrado acintosamente por Figueroa.

O juiz, mais uma vez, deu as costas para o lance. Final dois a um Palmeiras. Além do Cruzeiro, o juiz prejudicou São Paulo, Inter e Atlético, que disputam o título com o Palmeiras. Um absurdo. E não é a primeira vez que Roman erra contra a Raposa.

No primeiro turno, no duelo entre São Paulo e Cruzeiro, os jogadores do tricolor fizeram um revezamento de quinze faltas em Kléber, mas ninguém foi advertido. No primeiro gol da equipe paulista, Washington fez falta em Henrique antes de balançar a rede. 

Depois desses erros, Roman foi suspenso. Na volta, o juizão apitou Grêmio e Cruzeiro e não teve os mesmos critérios. Expulsou Jonathan no início do primeiro tempo e Thiago Ribeiro no começo da segunda etapa. Coincidência? 





Avante, Coelhão!

21 09 2009

Coelhão

Bruno Martins – brunomartins@radioliberdade.com.br

O sábado foi alviverde em Belo Horizonte. O América conquistou mais um título brasileiro. Desta vez o da série C. O Coelhão, que já estava garantido na série B do ano que vem, venceu o ASA de Alagoas por 1 a 0, sábado, no Independência e ergueu a taça de campeão da terceira divisão.

O gol do América só saiu aos 43 minutos do segundo tempo com o atacante Bruno Mineiro. O empate de 0 a 0 também dava o título ao time americano, que tinha vencido o jogo de ida da final por três a um, semana passada, em Alagoas.

Parabéns para o Coelhão e aos jogadores símbolos como o atacante Euller, o zagueiro Welllington Paulo – completou, ontem, 300 jogos pelo América -, além do meia Irênio e do lateral Evanílson. E, claro, ao técnico Givanildo de Oliveiro, o “Rei dos acessos”. Sorte ao América na série B do 2010!





Reabilitação?

14 09 2009

 

Gilberto comanda a vitória celeste no Beira-Rio.

Gilberto comanda a vitória celeste no Beira-Rio.

Bruno Martins – brunomartins@radioliberdade.com.br

Após sete anos, o Cruzeiro voltou a vencer o Internacional no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. Em um dos melhores jogos deste Brasileirão, a Raposa ganhou do Colorado por 3 a 2.

A equipe gaúcha saiu na frente. Aos 27 minutos do primeiro tempo, o volante Marquinhos Paraná errou o passe na entrada da área celeste. O volante Magrão ficou com a bola e o zagueiro Leonardo Silva entrou de carrinho na área, derrubando o jogador do Inter.

Pênalti. O atacante Alecssandro, ex-Cruzeiro, foi para a cobrança e abriu o marcador. Aos 36, o atacante Thiago Ribeiro também sofreu falta  de Guiñazu na área. Pênalti para o Cruzeiro. O meia Gilberto bateu a penalidade e empatou para a Raposa.

Logo aos sete minutos do segundo tempo, o mesmo Gilberto desempatou para o time mineiro de cabeça, após cruzamento de Soares. O Cruzeiro ainda poderia ter ampliado em duas jogadas de Gilberto. Mas foi o Inter que empatou a partida.

O meia Andrezinho bateu uma falta no canto direito e Fábio não alcançou. 2 a 2, aos 29 minutos da etapa final. Um minuto depois, Thiago Ribeiro deu a vitória à Raposa.

Gilberto deu um belo passe para o lateral Patric, que havia entrado no segundo tempo. Patric arriscou o chute, o goleiro Lauro rebateu e na volta Ribeiro deu a vitória ao Cruzeiro. Três a dois, placar final.

O resultado não alterou a posição do time estrelado, que continua em décimo terceiro na tabela. O Cruzeiro está a oito pontos do G4. O próximo adversário da Raposa é o Palmeiras, no Mineirão, dia 23 de setembro.

Coelhão na boa

O final de semana foi perfeito para as equipes da capital. Além das vitórias de Cruzeiro e Atlético, o América se deu bem no primeiro jogo da final da série C. O Coelhão venceu o ASA de Alagoas, em Arapiraca nas Alagoas por três a um.

Ótimo resultado para o Alviverde, que pode perder por até dois a zero na partida de volta, no Independencia, que levanta o caneco da terceira divisão. O duelo é no próximo domingo.





Sobe?

14 09 2009
Após sete rodadas, Galo volta ao G4.

Após sete rodadas, Galo volta ao G4.

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com

“Eu voltei agora para ficar”. No ritmo do rei Roberto Carlos, o Atlético se reabilita no Campeonato Brasileiro. Nesse domingo, ao bater o xará paranaense de virada por dois a um, o time alvinegro chegou à segunda vitória seguida na competição e voltou ao G4.

Agora o Galo ocupa o quarto lugar com 40 pontos, quatro pontos a menos que o líder Palmeiras, que tem 44. No duelo dos atléticos, o paranaense saiu na frente.

Após falta cobrada pelo meia Paulo Baier, o atacante Alex Mineiro completou de cabeça aos dez minutos do primeiro tempo. Bastaram três minutos para o Galo empatar com Rentería.

O lateral Carlos Alberto cruzou e, de cabeça, o colombiano fez o primeiro gol dele com a camisa atleticana. A vitória só veio aos 27 minutos do segundo tempo. O volante Côrrea fez um lançamento sensacional para o atacante Diego Tardelli, que acertou um belo chute.

Golaço e vitória do Galo, 2 a 1. O segundo triunfo consecutivo do Atlético foi assistido por mais de 33 mil torcedores. Agora, o Alvinegro se concentra para um confronto muito complicado.

O Atlético enfrenta o Náutico na próxima rodada. O jogo é neste sábado no estádio dos Aflitos, em Recife. Antes tem o desafio pela Copa Sul-Americana contra o Goiás na quarta-feira em Goiânia. Os reservas serão chamados. 0 a 0 dá Goiás.

E o armador Ricardinho, novo reforço do clube, será apresentado amanhã na Cidade do Galo. Ele chega nesta noite em Confins. Ricardinho tem vários títulos importantes, inclusive o de pentacampeão pelo Brasil em 2002.

O único problema é a fama de desagregador. Em 2006, ele foi eleito, pelos companheiros de profissão, o jogador mais odiado do país. A pesquisa foi capa da revista placar daquele ano.





Só falta fazer chover

10 09 2009
O ex-cuzeirense Maicon tem se destacado na seleção brasileira.

O ex-cruzeirense Maicon tem se destacado na seleção brasileira.

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com 

Na mídia, fala-se muito em Júlio César, Kaká, Luís Fabiano até em Robinho. Concordo, tirando o “rei das pedaladas”, todos estão bem demais nesta seleção que já conquistou vaga para a Copa de 2010 na África do Sul. Mas tem um cara que está demais.

Como é eficiente. Defende como um verdadeiro zagueiro, tem um preparo físico fora do comum e quando ataca é perfeito, seja nos cruzamentos ou nas finalizações.

Eu estou falando de Maicon. Como tem jogando no Brasil. Ontem, apesar de Nilmar ter feito três dos quatro gols sobre o Chile, Maicon foi o nome do jogo.

No primeiro tempo, ele salvou os volantes Gilberto Silva e Felipe Melo em, pelo menos, três oportunidades. Esses dois jogadores erraram demais, estavam displicentes.

Não acertavam passes de meio metro e eram desarmados facilmente. Mas o lateral da Internazionale estava lá para salvá-lo. No segundo tempo, quando o Chile empatou o jogo, foi Maicon que chamou a responsabilidade.

No terceiro gol de nossa seleção, o lateral fez um belo cruzamento na cabeça de Nilmar e no quarto gol, Maicon apareceu como um raio pela direita,acertou um chute de primeira após lançamento de Elano.

O goleiro Bravo defendeu e, no rebote, Nilmar, mais uma vez não perdoou. Se Maicon vinha bem, hoje, ele foi perfeito, ainda mais jogando com Daniel Alves no apoio. Que dupla pelo lado direito!

Lembrando que Maicon é mais uma aposta de Dunga. Treinador que todo mundo criticava, inclusive quem vos escreve.  Agora, esse André Santos, sei não.

Os dois gols sofridos pelo Brasil foram por falha de marcação do lateral-esquerdo. No primeiro, ele deixou o atacante passar e Felipe Melo cometeu o pênalti. No segundo, André estava na marcação de Suazo, que teve toda a liberdade para balançar as redes.