Criciúma, Brasiliense, Santo André, Prudente…

7 04 2011

Superesportes

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com

Reclamar de uma final de Brasileirão contra o Corinthians ou mesmo uma eliminação da Libertadores, como foi em 99 e 2000, tudo bem. Mas ir pra cima do banderinha porque anulou o gol que poderia, isso mesmo, poderia, classificar a equipe para as OITAVAS-DE-FINAL da Copa do Brasil é o fim.

E, olha, que o adversário é o Grêmio Prudente, time ridículo, lanterna do Campeonato Paulista. Mais uma vez, o sr. Alexandre Kalil exagerou. Ele deveria, sim, ir aos microfones e dizer que vai mudar tudo. Que contratou mal, que o elenco é horroroso. Mas não, Kalil sempre muda o foco e a torcida engole. 

Também não serei hipócrita em dizer que o banderinha carioca errou. É lógico que tem coisa aí. O Atlético bateu de frente com CBF e Rede Globo. De todo jeito, um time, de regular pra ruim, golearia o Prudente em seus domínios. A equipe do Galo é péssima. Renan Ribeiro falhou no jogo de ida. 

As “Torres Gêmeas” parecem mais dois postes. É fácil demais driblar o capitão Réver, que, nem de longe, lembra aquele do Grêmio, que chegou à seleção. Patric, Rafael Cruz, Guilherme. Três laterais que estiveram em campo ontem. Qual é pior? Difícil!

O meio-campo, então, nem se fala. Serginho, que já era afobado, piorou e foi até expulso. Marca apenas com falta e não acerta um passe. Renan Oliveira é o de sempre. Displicente e sonolento. Ele é tão fraquinho, que ano passado, quando defendeu o Vitória, nem relacionado era.

Jackson é o mesmo “Zé Maria” citado em uma das entrevistas de Kalil. É um desconhecido que caiu de paraquedas na equipe. Não faz absolutamente nada. O mesmo se aplica ao ídolo de Dorival, Ricardo Bueno. Tenebroso!

Já Magno Alves não é dos piores, mas, no máximo, seria uma boa opção de banco. Com este elenco, mesmo se chegar mais quatro reforços, o Atlético vai, novamente, lutar contra o rebaixado no Brasileirão. Tem que mudar tudo! Do goleiro ao centroavante.

Guilherme NÃO é solução. Muito mesmo Richarlyson, que ontem não jogou porque está lesionado. Daniel Carvalho nunca vai entrar em forma, isto é fato. Mancini é ex-jogador em atividade.

Kalil tem que parar de iludir a torcida e trabalhar melhor. Contratar sem fazer festa. Esquecer os atletas que defederam o rival e montar uma equipe de primeira divisão. A atual, sendo bonzinho, disputaria uma vaga entre os quatro na série C.

Anúncios




Mais torcedor que dirigente

6 04 2011

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com

Não há dúvida de que o presidente Alexandre Kalil quer o melhor para o Atlético. Mas, para ser dirigente, tem que saber separar o lado torcedor. Tem que vender quando o jogador está no auge, buscar sempre o melhor negócio e evitar fazer média com a torcida. Kalil faz tudo ao contrário.

Deixou de vender Tardelli por nove milhões de euros. Quando vendeu, foi por cinco milhões. Comprou o sonolento Guilherme por seis (metade foi com ajuda de parceiros). Será que vale o investimento? Não seria melhor trazer o Danilinho e o Marcinho?

Acho que este valor tiraria o primeiro do futebol mexicano e o segundo do mundo árabe. Keirrison não vive uma boa fase, mas a melhor dele foi com Dorival Junior. Por que não apostar neste jogador? Ele foi oferecido, o Atlético recusou.

Kalil também tem parar com essas entrevistas, que mais parecem com “stand up comedy”. Os mineiros acham legal, mas vai perguntar pra alguém de fora… Parece papo de roceiro! Será que Ricardinho e Zé Luis eram mesmo lanrajas podres do elenco? 

Ricardinho não era o melhor do time até então? Ele virou tão titular, que o Atlético não pensou duas vezes em liberar a “supercontratção” Diego Souza. Ano passado, o ex-camisa 10 era um “cara de grupo”. Estava com o time até quando não tinha condição de jogo. 

Será que o Luxemburgo pediu mesmo a saída de Zé e Ricardinho? E o Roth ? Se os dois questionaram a comissão técnica, é porque querem o melhor para o Atlético. Não acredito em complô pra derrubar técnico. Existir, existe, mas neste caso, NÃO.