Com golaço do artilheiro, Cruzeiro derruba líder.

25 07 2011
Bruno Martins – @brunohmartins

O filme tinha tudo para se repetir. O árbitro gaúcho Leandro Pedro Vuaden não teve critério. Montillo seguiu no jogo depois do apito e levou o amarelo. Chicão fez o mesmo e… Nada!

Emerson deu um tapa em Fábio e o juiz fingiu não ver. Gilberto fez duas faltas e foi expulso, deixando o Cruzeiro com um menos na metade do segundo tempo.

Castan fez várias e só levou um amarelo. Pior foi a mão clara do lateral Ramon após cruzamento de Vitor. Pênalti. Acha que Vuaden marcou? Lógico que não!

Mas tudo bem, isso é normal, histórico. Jogo contra o Corinthians foi sempre assim, ainda mais que o duelo foi no Pacaembu, que recebeu mais de 30 mil corintianos.

Melhor foi o Cruzeiro superar tudo isso. Venceu com uma postura tática perfeita. Fábio trabalhou pouco. Gil e Naldo foram gigantes. Fabrício é redundante dizer que ele foi um guerreiro. Roger e Montillo estavam lisos.

O argentino prendia a bola como ninguém. E Wallyson mostrou que é um dos melhores atacantes do Brasil. Como jogou isolado – Joel optou por cinco no meio-campo -, Wallyson teve que ser genial e conseguiu.

Aos 10 da etapa final, o camisa nove celeste passou por Ralf no meio-campo e avançou um pouquinho para enfiar o pé na bola.

Golaço da intermediária, encobrindo o inexperiente Renan.

Gol que vale muito. Pode valer o título. O Cruzeiro freou o líder Corinthians, até então, invicto, chega aos 18 pontos, encosta no G4 e fica a 10 do adversário paulista.

Excelente vitória, mas agora é pensar no Atlético Goianiense, quarta-feira, no Serra Dourada. Jogo complicado.

Gilberto, expulso, é desfalque certo. Everton, que deixou o jogo machucado, passa a ser dúvida. Leandro Guerreiro volta de suspensão, mas não sei se Joel vai colocá-lo como titular. Jogador muito comum e que não fez a mínima falta na vitória sobre o Corinthians.

Anúncios