Argentina x Brasil

30 04 2008

Cruzeiro enfrenta o Boca Juniors,hoje, pela Libertadores e busca quebrar tabu de 31 anos

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com

Segundo o ranking da Conmebol, a disputa de hoje é entre o melhor time da Argentina contra o segundo melhor do Brasil. Cruzeiro e Boca Junior jogam hoje, às 17h40 no La Bombonera pelas oitavas-de-final da Libertadores. Um jogo histórico, foi a partir deste confronto, em 1977, que o Boca se transformou no gigante de Libertadores. Cruzeiro e Boca disputaram o título daquele ano, a primeira partida foi 1 a 0 para os argentinos no La Bombonera, a segunda deu Raposa, 1a 0 no Mineirão. Para desmpatar foi necessário uma terceira partida, disputada no estádio Centenário, em Motenvidéu, o jogo terminou 0 a 0 no tempo normal. Na decisão por pênaltis, o Boca levou a melhor, 5 a 4 e o levou o primeiro dos seis títulos de Libertadores. A partir daí, nunca mais um time brasileiro conseguiu eliminar os argentinos na fase eliminatória da maior competição do continente. Recentemente, o Palmeiras foi vice em 2000, o São Caetano saiu nas quartas em 2004, o Santos de Leão e Robinho foi a vítima na final de 2003 e na temporada passada, o Boca foi o algoz do Grêmio, que perdeu em Buenos Aires e Porto Alegre. Trinta e um anos de invencibilidade, que pode começar a ser quebrada hoje. O time do Cruzeiro vem embalado, depois da vitória de 5 a 0 sobre o maior rival no último domingo. Se repetir o mesmo esquema do clássico e fizer marcação individualizada no maior craque do Boca, Riquelme, a equipe de Adílson Batista tem grandes chances de sair da Argentina com um resultado favorável e com isso ter a tranquilidade de decidir no Mineirão, na próxima semana com o apoio da torcida. Quando eu disse Riquelme, é porque o craque argentino é o único jogador “fora do comum” do confronto de hoje, o Boca tem outros bons jogadores, mas não são superiores a Guilherme, Wágner, Ramires, Moreno, Charles ou Fábio. Aliás, os volantes celestes são melhores que Dátolo, Bataglia e Vargas. Fábio é bem melhor que Caranta. Guilherme e Wágner não devem nada a Palácios e Marcelo Moreno tem tudo para ser melhor que Palermo. Fora que Marquinhos Paraná será o melhor marcador em campo. Basta acreditar e também atacar o Boca, time acuado neste estádio, toma de goleada. Para isso o time não pode jogar com quatro volantes, como Adílson vem imaginando, se jogar neste esquema, Moreno fica muito isolado na frente, o time fica praticamente com um jogador a menos e haja pressão. Não inventar, este é o segredo. Então, o Boca do técnico Carlos Ischia joga com Caranta, Gonzales, Maidana, Cáceres e Monzón; Vargas, Bataglia e Dátolo; Riquelme; Palácios e Palermo. Já Adílson tem que escalar Fábio, Marquinhos Paraná, Thiago Heleno, Espinoza, Jadilson;Henrique,Charles e Ramires;Wagner; Guilherme e Marcelo Moreno. No máximo, pode haver uma troca, com a saída do Henrique e entrada de Fabrício, se este entrar na vaga de Guilherme, não precisa nem ter partida de volta.
     





Os Cinco detalhes que decidiram um Campeonato

27 04 2008

O retrato do jogo: cinco atletas comemoram o resultado de cinco sobre o arqui-rival atleticano

Bruno Henrique Martins – brunohmartins@gmail.com

Cinco a zero, show de bola e… muitos detalhes, que sintetizaram uma goleada histórica do Cruzeiro sobre o Atlético, hoje, primeiro jogo da final do Campeonato Mineiro. O primeiro detalhe: A raça do atacante Marcelo Moreno, a persistência, que vem sendo marca deste boliviano, artilheiro do Cruzeiro na temporada, com 12 gols. Aos 12 minutos do primeiro tempo, Wágner bateu falta pela esquerda, Juninho saiu mal, a bola bateu em Moreno, Leandro Almeida tentou tirar, mas a luta do guerreiro boliviano falou mais alto! Entrou na frente da bola e mandou para as redes alvinegra, 1 a 0. Sete minutos depois, Jadílson – que sofreu a falta que resultou o primeiro gol – fez boa tabela com Wágner, foi à linha de fundo e cruzou rasteiro, Marcos tentou desviar, na verdade conseguiu, desviou do goleiro Juninho, 2 a 0 Raposa. Está aí o detalhe número dois, a deficiência da zaga do Galo, que é péssima, já foi o tempo de Marcos, que é lento, e Leandro Almeida, esse aí não joga nem no júnior do Atlético. O primeiro tempo estonteante do Atlético parecia não ter fim, foi então que surgiu o detalhe número três, o talento de Wágner, mesclado com a surpresa Ramires. Excelente lançamento do camisa 10 azul para o Pernalonga, que conseguiu ser mais rápido que Juninho e enconbrí-lo, 3 a 0, aos 38. O primeiro tempo chega ao fim, os jogadores do Atlético saem cabisbaixos, pareciam sem reção, pareciam não, estavam. Tanto é, que o detalhe número quatro, a falta de atacantes no Atlético, a falta de um matador dentro de área apareceu. O jovem Renan Oliveira, que até é bom jogador, conseguiu encarar Fábio, mas não foi feliz na finalização, conseguiu até deslocar o goleiro, mas por excesso de preciosismo, mandou na trave. No contra-ataque, a Raposa arrumou um escanteio, Wágner cobrou, a zaga rebateu, Charles pegou o rebote de cabeça, mandou para Ramires, que também usou a cabeça e deixou Guilherme livre, leve e solto para fazer 4 a 0, aos 21 da segunda etapa. O quinto detalhe é o craque do banco, que o Galo não tem(Geninho colocou Vianna, Renan e Nicácio, que pouco ajudaram), Leandro Domingues entrou e com a sua velocidade, recebeu bom passe de Guilhereme – que havia desarmado Marcos no campo de defesa celeste-,Domingues avançou, e na de cara com Juninho, deu um leve toque para Wágner mandar para às redes adversária, 5 a 0, aos 32 da etapa final. Fatura liquidada, título liquidado, agora a Raposa tem que preparar muito para enfrentar o “bicho-papão” sulamericano, o Boca Junior, jogo válido pelas oitavas-de-final da Libertadores, 17h40, em Buenos Aires. É só jogar com coragem e acreditar, como fez com o Galo, só um detalhe:Marquinho Paraná, que neutralizou Danilinho neste jogo, e foi sem dúvida o melhor campo, terá a grande responsabilidade de marcar Riquelme, vamos ver!  O Atlético agora tem que pensar em reestruturação, eu mesmo disse isso com o próprio Cruzeiro, na decisão da edição passada (4 a 0 para o Galo, na primeira partida). O alvinegro montou um time muito fraco para a temporada centenária, manteve a base do ano passado, mas com uma restrição, esqueceram que quem sabe armar times jovens é Leão e não outro treinador. Por um lado, a derrota foi importante também para o Galo, principalmente para “abrir os olhos” da diretoria e da torcida.   

Campenato Paulista: Ponte Preta 0 x 1 Palmeiras, gol de Kléber.

Campeonato Carioca: Flamengo 1 x 0 Botafogo, Obina.

Campeonato Paranaense: Coritiba 2 x 0 Atlético, Carlinhos Paraíba e Keirrison.

Campeonato Gaúcho: Juventude 1 x 0 Internacional, Maycon, aos 47 da etapa final 

Campeonato Catarinese: Figueirense 1 x 0 Criciúma, Edu Salles.

Campeonato Goiano: Itumbiara 1 x 0 Goiás, Basílio.

Campeonato Baiano: Bahia 0 x 3 Vitória, Ramon, Marquinhos e Ricardinho (não é final)





Zero a zero bom de se ver

23 04 2008

Cristiano Ronaldo, em dia pouco inspirado, perde pênalti e o Manchester fica no empate contra o Barça, que foi bem melhor na partida, agora as duas equipes voltam a se enfrentar na próxima terça para ver que vai à final da Liga dos Campeões

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com

Pelas semifinais da UEFA Champions, Barcelona e Machester United proporcionaram um belo espetáculo, hoje, no Camp Nou, apesar da falta de gols, 0 a 0. Logo de cara o Manchester teve a melhor oportunidade do jogo, em menos de dois minutos do primeiro tempo, Cristiano Ronaldo desperdiçou um pênalti. Depois só deu Barcelona, com as boas jogadas protagonizadas por Messi e Eto’o, que não eram bem concluidas. O Manchester, que jogava muito recuado, apostava nos contra-ataques com o trio Tevez, Ronaldo e Rooney, todos três figuras apagadas durante toda a partida, a exceção dos belos dribles de Cristiano Ronaldo. Faltava alguém para a ligação meia-ataque, e o responável era Park, que não tem a mínima técnica, talvez o português Nani pudesse ser melhor opção. No segundo tempo, o Manchester começou a marcar mais no campo ofensivo e fez diminuir o ímpeto merengue. Apesar da queda de produção, foi o Barça que deu o chute mais perigoso da segunda etapa, com Henry e uma bela defesa de Van der Sar. No geral foi um jogo bastante movimentado, com bons lances, mas pouco objetivos, Valdez não trabalhou e Van der Sar fez mais defesas de segurança. Agora jogo fraco foi o de ontem, Liverpool e Chelsea ficaram também no empate, só que esse foi 1 a 1. Kuyt abriu o placar na primeira etapa para o time dos Beatles e Riise, também do Liverpool inverteu a vantagem para o Chelsea, com um gol contra aos 49 do segundo tempo. Foi um jogo sem emoção e muito preso ao meio-de-campo. Agora para as partidas de volta o Barça garante a vaga com qualquer empate com gols e o Chelsea joga pelo empate sem gol para ir à final da Liga. Acredito no Liverpool, que deve partir para cima e ganhar do Chelsea, em Londres e o Manchester é grande favorito do outro confronto, os vermelhos jogam muito em seus domínios. Manchester e Barcelona jogam na próxima terça, Chelsea e Liverpool duelam na quarta-feira. A final está marcada para o dia 21 de maio, em Moscou.





21 04 2008

        

 

Venceu o melhor…

Cimed bate o Minas em decisão “corriqueira” e é campeão pela segunda vez na Superliga de vôlei

Bruno Martins- brunohmartins@gmail.com

Ontem esqueci de escrever sobre a final da Superliga de vôlei 2007/08…Em um jogo bastante disputado, o Cimed se sagrou campeão nesse domingo, ao vencer o Minas por 3 sets a 2, parciais de 25/27, 25/21, 24/26, 25/15 e 15/12. O jogo foi no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, apesar do mando de campo ser do Cimed. Em pouco mais de três anos de existência, este foi o segundo título de Superliga dos catarineses, que disputaram as três últimas finais com o próprio Minas, que venceu a última edição. No jogo de ontem, destaque para o atacante Kid, de 37 anos, eleito o melhor jogador da partida e para o levantador Bruninho, que é muito ágil e favoreceu a velocidade do ataque da equipe de Florianópolis. Do outro lado, o Minas até que foi bem, chegou a fazer 2 sets a 1, mas perdeu o ritmo no quarto set, ao ser derrotado por uma diferença de 10 pontos, o que abalou emocionalmente os mineiros no tie-break. Vitória mais do que justa dos catarineses, que foram superiores em maior parte da competição, tendo a melhor campanha na primeira fase. A CBV aida divulgou os melhores jogadores do torneio: Léo Mineiro do Sada Betim foi o melhor na recepção, Anderson da Ulbra foi o melhor atacante, o melhor bloqueador foi Othon do Alvares Vitória, Jardel do Minas foi eleito o melhor sacador, a melhor defesa é de Renato do Cimed e o melhor levantador foi Bruninho, também do Cimed.

 





20 04 2008

Bruno Martins

O Botafogo conquistou aTaça Rio e com ela o direito de disputar a decisão do carioca. O alvinegro carioca venceu o Fluminense, hoje por 1 a 0, gol do zagueiro Renato Silva, no final do segundo tempo. O Flu ainda havia perdido um pênalti no primeiro tempo, Washigton jogou na trave. A equipe comandada por Cuca, pega o Flamengo de Joel Santana, que venceu a Taça Guanabara naquele polêmico jogo do “chororô”. Vai pegar fogo esta final, que será disputada em dois jogos no Maracanã, nos dois domigos próximos. O Botafogo ainda não engoliu a derrota na decisão do ano passado – em que perdeu na disputa de pênaltis contra o mesmo Flamengo – e a decisão da Taça Guanabara deste ano. Em São Paulo, o confronto final é entre Palmeiras e Ponte Preta, também nos próximos domingos, a primeira partida será no Moisés Lucarelli e a segunda no Parque Antártica. A Macaca se classificou ontem, ao vencer o Guaratinguetá por 2 a 1, fora de casa, bom jogo, destaque para o goleiro Aranha, da Ponte, que defendeu até pênalti. O primeiro jogo foi 1 a 0, também favorável à equipe de Campinas. O Palmeiras conseguiu reverter a vantagem conquistada pelo São Paulo na partida de ida da semifinal-2 a 1 para o tricolor no estádio do Morumbi. No jogo de hoje, no Palestra Itália, o Palmeiras foi logo marcando, Léo Lima, que virou volante, arriscou de fora da área, a bola desviou no gramado molhado e enganou o Rogério Ceni, 1 a 0 aos 21 da primeira etapa. No segundo tempo, Valdívia recebeu bom passe de Wendel e definiu o placar, 2 a 0, aos 38 minutos. O Palmeiras será o campeão paulista, não há duvidas, apesar de zebras existirem, Luxemburgo não perde o título. No campeonato paranaense, assim como no mineiro haverá um clássico na decisão, Atlético e Coritiba, o famoso Atletiba. O Coxa venceu o Paraná por 2 a 0 na Vila Capanema, Keirrison fez os dois gols. Já o Furacão perdeu para o Toledo por 1 a 0. Mas como o Atlético havia vencido a primeira partida também por 1 a 0, e tinha a vantagem, no caso de um empate na soma dos resultados, a equipe foi à final. O Coritiba é franco favorito, nesta reta final a equipe de Dorival Junior se consolidou, já o time de Ney Franco caiu de produção e não vem fazendo boas partidas, como fez no primeiro turno arrasador, com 13 vitórias consecutivas. No Gauchão, o Inter venceu o Caxias por 2 a 1 e foi à final, destaque para o meia Alex, autor dos dois gols. O colorado enfrenta o Juventude que venceu o Internacional de Santa Maria por 4 a 2, em Santa Maria- o primeiro jogo foi 1 a 0 para o Inter-SM. A primeira partida da decisão será em Caxias do Sul, no estádio Alfredo Jaconi e a segunda no Beira-rio. O Inter é favorito, mas o Juventude já aprontou pra cima do Grêmio, que até então estava invicto e não será surpresa se o título ficar com time do técnico Zetti.        





Mais uma vez clássico na decisão mineira

20 04 2008

Leandro Domingues volta à equipe celete e ajuda o time a conquistar a vaga para a final do Campeonato Mineiro com um golaço,em seu primeiro lance na partida

 

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com

Depois de mais um jogo complicado, o Cruzeiro conseguiu a classificação para final do Campeonato Mineiro, o time celeste venceu o Ituiutaba por 3 a 1. Bastou Adílson não inventar na escalação e nas substituições, que o time voltou a jogar a bem, principalmente no segundo tempo. O Ituiutaba saiu na frente, com um gol de Moreno no primeiro tempo, a equipe do Pontal foi superior neste período e teve oportunidades para ampliar o placar. Vontade não faltou a Raposa no primeiro tempo, que jogava com raça, mas sem técnica e objetividade. Marcinho, que jogou no lugar de Wágner não conseguia armar as jogadas, Ramires estava de ponta esquerda isolado e os laterais Jadílson e Jonathan têm deficiências, o primeiro defensivas e o segundo ofensivas. Mas o gol foi uma falha de marcação de Ramires, que deu espaço para o atacante do Ituiutaba Moreno, que dominou a bola de escanteio dentro da área, cruzou errado, mas certo, pois foi direto para o gol, Fábio estava mal posicionado. No segundo tempo, Adílson Batista tirou o Jonathan e colocou Henrique, que entrou para ajudar o lado esquerdo da defesa azul e anular Moreno, substituição fatal para a equipe comandada por Nedo Xavier. Marquinhos Paraná caiu para a lateral direita. A equipe deu uma leve melhorada e começou uma pressão logo no início, com bonitos lances promovidos por Guilherme – Marcelo Moreno e Marcinho foram infelizes nas conclusões. Ramires ainda sofreu um pênalti, que não foi marcado pelo árbitro Ricardo Marques. De tanto atacar, os celestes chegaram ao gol do Boa, Marcinho bateu escanteio, a zaga rebateu para o próprio meia, que cruzou novamente, desta vez a bola veio rasteira, Espinoza completou, 1 a 1 aos 12 minutos do segundo tempo. Logo após o gol, o lateral Peterson do Ituiutaba ficou irritado com a marcação de um lateral, reclamou de forma veemente e levou o segundo amarelo, consequentemente o vermelho. Com um jogador a mais, o Cruzeiro ficou ainda mais ofensivo e teve outras chances de ampliar o marcador. Foi só Marcinho dizer que estava cansado, que Adílson o substituiu por Leandro Domingues, que entrou e de cara fez uma obra de arte, golaço, saiu do meio de campo driblou dois marcadores e emcobriu o goleiro Daniel, 2 a 1 aos 27. Ainda bem que o Adílson não inventou e colocou o Domingues, que não jogava desde do jogo contra o Rio Branco, no começo de março. Leandro Domingues é um dos poucos craques da equipe – Wágner e Guilherme são os outros – e merece mais oportunidades, não é de hoje que ele vem decidindo, ele foi imprescindível para a classificação do time para a Libertadores no Brasileirão do ano passado. Como o jogo foi 3 a 1, Guilherme carimbou o passaporte para a final, outro golaço aos 38. Marcelo Moreno fez boa jogada na ponta direita e cruzou para o garoto, que pegou de bate-pronto. O Cruzeiro agora pega o Atlético, em mais uma decisão de Mineiro, serão dois jogos e a raposa joga por dois empates ou por uma derrota e uma vitória com a mesma diferença de gols. Apesar de clássico não ter favorito, o Galo desta vez é. Vem com mais moral, o alvinegro venceu os dois jogos da semifinal, com direito a gol de letra do jovem Renan Oliveira no jogo de ontem, que foi 1 a 0. O primeiro jogo é no próximo domingo, às quatro da tarde, vamos ver se haverá um bicampeonato ou uma revanche da decisão da temporada anterior, que vença o melhor!!    





Tradição manchada

17 04 2008

Bruno Martins – brunohmartins@gmail.com

O pior dia na história de um dos clubes de maior tradição sulamericana, o Cruzeiro acabou de ser goleado pelo pífio time do Real Potosí por 5 a 1 pela Copa Libertadores. Com o jogo de hoje, a equipe da raposinha fez 92 jogos na Libertadores, com 56 vitórias, 15 empates e 21 derrotas. Até ontem a pior derrota na competição deste timinho foi contra o Independente da Argetina, em 1975 por 3 a 0. Hoje foram cinco de um time que mal é conhecido na Bolívia, que se sustenta por jogar em uma altitude de quase quatro mil metros, que tem jogadores acima do peso, que estão longes da técnica do futebol brasileiro. O que vimos hoje foi a maior vergonha, maior vexame de um clube brasileiro na Libertadores, nem Paraná, Juventude, Paulista ou mesmo Santo André- equipes consideradas pequenas de nosso futebol- foram capazes de tamanha mediocridade. Para começar o meu caro Adílson começou com três zagueiros perdidos, mais quatro volantes, nenhum atacante de velocidade e sem um lateral esquerdo. Adílson tinha tudo para se tornar um grande treinador, mas vem inventando, entrou amedrontado, com medo do até então, pior equipe da Copa Libertadores. Foi 2 a 1 no primeiro tempo, 2 a 0 logo aos 12 minutos, dois erros primários dos zagueiros celeste. Depois na segunda etapa, duas falhas de Fábio com ajuda da péssima marcação e o último…, esse foi ridículo, nunca vi igual, um gordinho chamado Gatty Ribeiro acertou a trave de Fábio e em seguida recuperou a bola, passou por Henrique, Paraná, Espinoza, Léo Fortunato, Martinelli, Zezé Perrella e mandou para as redes. Tudo isso dentro da área!!! Vergonha! Vexame!Tradição manchada! Uma tradição que vem de craques como Tostão, Jairzinho, Dirceu Lopes, Joãozinho, Roberto Gaúcho, Nonato, Gottardo, Elivelton, Marcelo Ramos, Dida e outros, que por tanto tempo ostentaram esta equipe, que já foi o maior temor brasileiro dos argentinos e hoje é motivo de piada para Evo Moráles. O time merecia ser desclassificado na competição por esta derrota. Espero que estes profissionais não venha com a desculpa de altitude, como que o San Lorezo ganhou então? e o Caracas só perdeu de 3 a 1, o Flamengo jogou neste mesmo local ano passado e empatou. Que pelo mesmo esses jogadores e o treinador sejam homens e admitem que erraram feio, que acabaram de destruir um tradição de tantos anos. Que vocês fiquem na história: 16 de abril de 2008, REAL POTOSÍ 5 X 1 CRUZEIRO  – Fábio, Jonathan, Léo Fortunato, Thiago Martinelli, Espinoza, Marquinhos Paraná, Henrique, Charles, Ramires, Wágner, Marcelo Moreno, Guilherme, Marcinho e Jadílson. Técnico: ADILSON BATISTA, Presidente: ALVIMAR DE OLIVEIRA COSTA, Vice: ZEZÉ PERRELLA, Diretor de Futebol: EDUARDO MALUF.